Discurso - Flávio Bolsonaro

Texto do Discurso

O SR. FLÁVIO BOLSONARO - Sr. Presidente, tenho uma percepção muito clara da tentativa ensandecida, custe o que custar, do PT, de continuar implementando o seu plano de poder no nosso País, ajudando seus amigos do foro de São Paulo com o dinheiro dos impostos nossos, dos brasileiros; é assim com a Argentina, com Venezuela, com Cuba, com tantos outros países companheiros de esquerda.

Muito me preocupa toda vez que a Presidente Dilma vai em rede nacional ou se posiciona, anunciando alguma medida simpática ou inventando um nome simpático para determinada medida que a sociedade, em tese, entenda que seja necessária, por exemplo, a reforma política.

Eu tenho um pensamento muito claro. Penso que a melhor reforma política que existe é a reforma do eleitor. A partir do momento em que o eleitor fizer o controle de qualidade que deve ser feito na hora de votar, mais da metade dos problemas estarão resolvidos.

Não há lei que impeça que muitos daqueles que atuam, usando a máquina pública em benefício próprio, roubando, mentindo, continuem chegando ao poder. Enquanto esse dinheiro sujo, enquanto essas mentiras não forem levadas em conta pelo eleitor, nada vai mudar. O eleitor é que precisa ser mais criterioso na hora de escolher seus representantes.

Acredito que estamos amadurecendo. A cada eleição, vamos amadurecendo. Mas, o PT, ao perceber que terá dificuldade de implementar várias de suas soluções milagrosas para problemas crônicos do nosso País, no Congresso Nacional, já começa a usar ferramentas que outros países do Foro de São Paulo utilizam, como na Venezuela: lá, é plebiscito para tudo, até para assuntos mais complexos. A população, confusa, acaba sendo induzida pela propaganda oficial do governo a votar conforme o interesse do governo.

Hoje, ao ler a coluna do Felipe Moura Brasil, na Veja on-line, mais uma vez constatei que estamos sofrendo, em todo momento, uma tentativa de o PT impor suas reformas, conforme lhe convém.

Felipe Moura Brasil recebeu um e-mail de uma ex-aluna da ONG Educafro, de um curso preparatório para o vestibular, para a população carente e a que se declara negra, repassando uma mensagem recebida da ONG, uma organização não governamental trabalhando para o Governo. Essa ONG Educafro exige, para a renovação da bolsa de seus alunos, que eles colham assinaturas para um projeto de iniciativa popular com a reforma política que o PT quer.

Há algum tempo, vemos nas ruas pessoas recolhendo assinaturas: vamos fazer essa reforma política por um projeto de iniciativa popular. E estão colhendo assinaturas.

A ONG, alinhada aos interesses do PT e do Governo, impõe aos seus alunos que, para renovar a matrícula, têm que conseguir, no mínimo, 35 assinaturas para essa proposta do PT. Não importa se o aluno concorda, se o aluno não concorda: é uma exigência. Sabe qual é a alternativa? Pagar R$300,00 para ter sua bolsa renovada. São alunos carentes, pessoas que precisam recorrer a um pré-vestibular para prestarem um bom exame e ameaçadas por essa ONG dirigida pelo Frei David Santos.

Quero ler um trecho do e-mail, que é muito interessante:

(Lendo) “Caso você concerte – Taquigrafia: não conserte – seus erros, a multa será extinta”.

Ou seja, ele é tão democrático que dá mais uma chance para que esses pobres alunos carentes, mesmo contra sua vontade e mesmo não sendo petistas, consigam essas assinaturas, para tentar dar legitimidade a esse verdadeiro golpe na democracia que o PT tenta dar a todo custo no Congresso Nacional, porque sabe que vai enfrentar sérias dificuldades para essas propostas absurdas, que só beneficiam o próprio partido, passarem despercebidas no Congresso Nacional.

Refiro-me ao financiamento público de campanha, porque, obviamente, a maior bancada vai ser a beneficiada, e qual é a maior bancada? Adivinhem! É a bancada do PT. É o voto em lista fechada. Será que o eleitor sabe o que é o voto em lista fechada para decidir num plebiscito? Será que ele sabe quais as consequências disso? Só uma pequena introdução: voto em lista fechada, caro eleitor, significa que você vai votar no partido, e o partido vai fazer uma relação prioritária de quem será eleito. Então, não é mais a sua vontade; é a vontade do partido. E, obviamente, no topo dessa relação estarão os principais caciques desse partido, aqueles que votam, religiosamente, a favor do governo, sem se preocupar com as consequências para a população.

Sr. Presidente, eu quero, portanto, parabenizar o Felipe Moura Brasil por esse brilhante artigo. Peço a V.Exa. autorização para transcrição em Diário Oficial dessa excepcional análise que ele faz, atacando vários pontos dessa malfadada reforma política que o PT tenta implantar. Porque, em se tratando de reforma, ocorre o seguinte: eu quero fazer uma reforma na sua casa. “V.Exa. aceita?” “Depende, qual será a reforma? Vai derrubar a minha casa e levantar um barraco, ou vai remodelar para dar mais segurança e mais conforto para a minha família?” A situação é a mesma quando se pensa em reforma política. Reforma política é um nome muito bonito, mas qual é a reforma, para atender a quais fins?

Então, Presidente, esse tipo de iniciativa precisa ser denunciado. Essa ONG Educafro mostra que está a serviço do Governo e que não está preocupada com a qualidade da preparação que é dada aos seus alunos, porque, se o próprio dirigente de uma ONG como essa, que diz preparar alunos para o Vestibular, comete um erro de Português absurdo como esse, imaginem o que esses alunos estão aprendendo em sala de aula e como esses alunos estão indo nas provas de Português do Vestibular!

Sr. Presidente, mais uma vez, peço o deferimento de V.Exa. para que esse artigo seja publicado e agradeço o tempo dispensado.

O SR. PRESIDENTE (José Luiz Nanci) – A Presidência defere o pedido de V.Exa.