Eventos


Texto

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Sob a proteção de Deus declaro aberta a Sessão Solene de Compromisso Constitucional de Posse do Sr. Governador Luiz Fernando de Sousa Pezão e, ao mesmo tempo, ser empossado no cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro.

Convido para fazer parte da Mesa principal o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, D. Orani Tempesta, seja bem-vindo; a querida amiga Exma. Desembargadora, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Leila Mariano; o querido amigo, grande defensor do patrimônio nosso, Senador Francisco Dornelles; o Exmo. Sr. Procurador-Geral de Justiça, Dr. Marfan Martins Vieira; o Sr. Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, querido amigo Jonas Lopes de Carvalho Júnior; a 2ª Secretária, substituindo o 1º Secretário, o Deputado Wagner Montes, ausente por problema de Saúde, a querida amiga Exma. Deputada Graça Matos; os líderes partidários e o Deputado, em homenagem à Cidade de Piraí, Gustavo Tutuca, para se dirigir à Presidência e conduzir à Mesa principal o Governador Luiz Fernando de Sousa Pezão. (Palmas)

Senhoras e Senhores, o Governador Luiz Fernando de Souza Pezão. (Palmas)

Anuncio também a presença da Sra. Maria Lúcia Cautiero Horta Jardim, esposa do Governador Pezão. (Palmas)

Agradeço a presença da minha esposa Franciane. (Palmas)

Quero agradecer a presença de todos e de todos os prefeitos e solicitar que todos fiquemos de pé para ouvirmos o Hino Nacional Brasileiro a ser executado pelos músicos da Companhia Independente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, sob a regência do 2º Tenente-PM músico, Rui Rodrigues dos Santos, a quem agradeço pela presença.

(É EXECUTADO O HINO NACIONAL BRASILEIRO)

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Quero agradecer aos Deputados Federais, aos Secretários de Estado e aos líderes religiosos aqui presentes. Infelizmente, a mesa não pode ser ocupada por todos, mas sintam-se como se integrantes fossem. Agradeço ainda aos Prefeitos, Vereadores, Presidentes de Autarquias, Secretários e Subsecretários, aos líderes partidários, aos Deputados de todos os partidos que compõem a Assembleia Legislativa, às senhoras e aos senhores convidados aqui presentes.

Quero dar as boas-vindas ao Governador Luiz Fernando Pezão. É um privilégio para mim, por determinação constitucional, presidir esta Sessão, de forma muito especial. Eu, que faço parte de um grupo político, mas aqui agora na condição de Presidente, não nego o prazer que sinto por estar presidindo a Sessão e empossar o Sr. Luiz Fernando Pezão no cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro, que há dois anos exerce o cargo de vice-Governador e sucede um Governo com grandes responsabilidades. Que Deus o ilumine. Que V.Exa. tenha a sabedoria necessária para conduzir o Estado nesses nove meses que faltam.

Ouviremos agora a leitura do Compromisso Constitucional de Posse do Sr. Governador Luiz Fernando de Souza Pezão ao cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro.

O SR. LUIZ FERNANDO DE SOUZA PEZÃO – (Lendo)

“Prometo desempenhar fielmente o mandato que me foi confiado dentro das normas constitucionais e legais da República e do Estado, servindo com honra, lealdade e dedicação ao povo do Estado do Rio de Janeiro.”

(Conclui a leitura)

(Palmas)

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Convido a Sra. 2ª Secretária da Assembleia Legislativa, Deputada Graça Matos, a fazer a leitura do termo de posse do Sr. Luiz Fernando de Souza Pezão.

A SRA. GRAÇA MATOS – (Lendo)

“Termo de posse do vice-Governador Luiz Fernando de Souza Pezão no cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o disposto no inciso VI do artigo 99, combinado com os artigos 139 e 140, caput, da Constituição Estadual, o vice-Governador Luiz Fernando de Souza Pezão prestou compromisso e assumiu nesta data o cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro para o período governamental que se encerrará em 31 de dezembro de 2014, conforme Diploma expedido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro, 4 de abril de 2014.

Deputado Paulo Melo, Presidente.

Luiz Fernando de Souza”.

(Conclui a leitura)

(Palmas)

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Convido o Governador a assinar o termo de posse.

(O SR. GOVERNADOR LUIZ FERNANDO DE SOUZA PEZÃO ASSINA O TERMO DE POSSE)

(Palmas)

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Declaro empossado, e no exercício do cargo de Governador do Estado do Rio de Janeiro, o Sr. Luiz Fernando de Souza Pezão. (Palmas)

Tenho a honra de anunciar a fala de S.Exa. o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando de Souza Pezão, que se quiser ocupar a tribuna será um privilégio.

Obrigado aos Deputados Luiz Paulo; Janira Rocha; João Peixoto; André Corrêa; Leonardo Picciani; Eduardo Cunha; Sr. Sérgio Sveiter; aos Deputados Bernardo Rossi; Coronel Jairo; Marcos Soares; Janio Mendes; Dica; Felipe Peixoto; Samuel Malafaia; Gilberto Palmares; Alexandre Correa; Dionísio Lins; Enfermeira Rejane; Aspásia Camargo; Myrian Rios; Luizinho; Cidinha Campos; Iranildo Campos; Rafael do Gordo; Thiago Pampolha; Bruno Correia; Átila Nunes; Bebeto; Márcio Panisset; Gerson Bergher; Márcio Pacheco; André Ceciliano; Paulo Ramos, numa reflexão profunda; Fabio Silva, obrigado; Marco Figueiredo; Zaqueu Teixeira e Carlos Minc, aqui presente também.

Com a palavra o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando de Souza Pezão. (Palmas)

O SR. LUIZ FERNANDO PEZÃO – Bom-dia! É um prazer muito grande estar aqui nesta Casa Legislativa, vivenciando este momento que mexe muito comigo. Eu estou aqui numa emoção tremenda.

Meu amigo, Paulo Melo, Presidente desta Casa; minha cara Deputada Graça Matos; Dom Orani Tempesta; meu caro Jonas, Presidente do Tribunal de Contas; Dr. Marfan; Dra. Leila Mariano, Presidente do Tribunal de Justiça; meu caro Senador Dornelles, amigo da primeira hora, que abriu as portas de Brasília para mim, para o meu município, é um orgulho imenso estar tomando posse aqui, tendo o senhor ao meu lado.

Quero saudar Maria Lúcia, minha esposa; Roberto; meu filho, Eduardo; Silvia, minha nora; saudar meu irmão Carlinhos; a Mônica; o Gustavo; a Natália; meus sobrinhos; saudar todos... A Luiza querida – se eu não falar o nome dela, estou perdido, que é a minha sobrinha querida.

Quero saudar a todos os líderes partidários; saudar, na pessoa do Pastor Abner, a todos os líderes evangélicos aqui presentes; saudar o Deputado Eduardo Cunha; Sérgio Sweiter, Deputado Federal, me desculpe, mas em nome dele saudar a todos os Deputados Federais, eu sei que tem outros. Saudar o presidente do meu partido, Jorge Picciani, ex-presidente desta Casa.

Quero saudar o Vereador Jorge Felippe e em nome dele saudar todos os vereadores; o meu amigo, Dr. Nilson Bruno, que começou comigo em Piraí, como defensor público de Piraí, e hoje é Defensor Geral. Saudar todos os Secretários, colegas. Saudar a todos.

Eu vivo um momento de muita alegria, de muita satisfação. Eu comecei numa pequena cidade, Piraí, no Sul do Estado, com 25.000 habitantes. Comecei no Parlamento, fui vereador por dez anos, fui presidente de Câmara, respeito muito o trabalho Legislativo e tomar posse nesta Casa é uma honra muito grande. Eu considero o trabalho que mais gratifica o do Vereador, do Deputado Estadual, do Deputado Federal, dos Senadores, porque é o trabalho que está mais perto do povo. Quando vamos para o Executivo, infelizmente, às vezes, nos afastamos um pouco.

Sérgio sempre brinca comigo e fala que eu tenho a alma de Vereador, de gostar de estar na rua, de estar perto do povo, de botar o pé no barro e sair caminhando. Carrego isso com muita alegria, porque foi no Parlamento, na minha cidade, na Câmara de Vereadores, que eu aprendi a fazer política, a ver as necessidades do povo.

Tive uma carreira em que pude trabalhar servindo ao público. Fui Prefeito da minha cidade por duas vezes, na segunda fui reeleito com o maior percentual de votos do Estado. Sempre procurei construir pontes, sempre procurei fazer. Peguei minha cidade num momento muito difícil, no momento da privatização da Light – meu pai, infelizmente não pode estar aqui presente, pois não aguentaria a emoção, assim como minha mãe, já com seus 88 anos, dedicou a sua vida por 46 anos trabalhando na Light como torneiro mecânico e criou a mim e ao meu irmão.

Estudei em escola pública, cheguei à universidade, pude me formar por meio da boa escola pública. Procurei, à frente do Governo da minha cidade fazer parcerias, trabalhar, estender a mão a todos os governadores, trabalhei com todos os governadores, com o meu grande amigo, ex-governador Leonel de Moura Brizola, com quem eu aprendi, foi o meu primeiro partido e por ele me elegi prefeito. (Palmas)

Pude trabalhar duas vezes, conheci, aqui está o André Corrêa, o pai dele me ajudou muito como Deputado Estadual. Depois, com o ex-Governador Marcello Alencar, com quem, ontem, tive o prazer e a honra de falar ao telefone, uma pessoa que foi muito importante. Não fiz campanha para ele e sempre me recebeu no Palácio com as portas abertas. Depois, trabalhei com o ex-Governador Garotinho, com a ex-Governadora Rosinha, com quem, ontem, tive o prazer de falar.

Sempre procurei construir pontes, abrir portas e ajudar a minha cidade, ajudar os municípios. Fui Presidente da Associação de Prefeitos, vice-Presidente da Confederação Nacional dos Municípios, sempre procurando juntar gente, agregar gente.

Tive a felicidade e a honra de trabalhar com uma pessoa extraordinária, Sérgio, nesses sete anos e três meses, não foi um Governador. Eu ganhei um amigo da vida e para a vida inteira, ganhei um irmão. Amanheci na residência dele mais de 90% dos dias desses sete anos e três meses de mandato.

Vi a sua luta e o seu enfrentamento para o Estado do Rio de Janeiro vivenciar os momentos de hoje. Não e fácil, não é fácil. Eu sei que a minha missão é muito árdua, muito difícil: primeiro, substituir o insubstituível. Sérgio é uma das pessoas mais generosas que já conheci na minha vida, que colocou o Rio de Janeiro, novamente, no protagonismo das grandes políticas públicas. Sérgio é uma pessoa que, como seu primeiro gesto, foi estender a mão ao grande brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. O Rio de Janeiro vive, nesses sete anos e três meses, momentos que não acreditávamos mais.

Quando assumimos o Estado, esta Assembleia Legislativa tinha votado um Orçamento de R$34 bilhões. O nosso Orçamento, deste ano de 2014, que vocês aprovaram, é de R$84 bilhões. Um Estado em que, quando nós assumimos, em janeiro de 2007, se investia 2,3 bilhões na Segurança Pública – Segurança Pública em todas as áreas, administração penitenciária, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil. Nosso Orçamento deste ano é de 9,1 bilhões de reais para a Segurança Pública.

Hoje a população do Estado já não vê mais um carro da Polícia parado, sem pneus, sem motores – carro da Polícia Civil, da Polícia Militar ou dos Bombeiros. Tivemos momentos na Segurança Pública de ocupar territórios em que as pessoas já não acreditavam mais: Maré, Alemão, Manguinhos, Rocinha. Hoje é muito diferente, hoje a Polícia está lá presente.

Cheguei aqui – sempre faço questão de ressaltar e de falar isso – vindo de uma cidade onde temos 23 escolas e 11 postos de saúde com médicos de família, com 100% de cobertura de médicos de família. Toda criança tem uma atividade complementar, tem um horário integral. Cheguei a uma cidade em que, em fevereiro de 2007, quando eu andava no Alemão, andava em Manguinhos, via um mundo que eu não imaginava que existisse, um mundo como em Manguinhos, atrás do centro de triagem dos Correios, onde havia um bairro chamado Chiqueirinho 1 e Chiqueirinho 2, onde havia uma CCPL com 3.600 pessoas dormindo, vivendo dentro daquela fábrica, mais de 800 famílias. As pessoas eram tratadas de uma maneira que ali eu entendi a violência.

Naqueles locais em que eu andava, naqueles becos da Rocinha em que eu andava, você saía de uma cidade legal como São Conrado, atravessava uma avenida e caía no submundo, onde as pessoas determinavam quem entrava e quem saía, uma cidade de 101 mil habitantes, quatro vezes a minha Cidade, com o maior índice de tuberculose do País. Eu falava para o Sérgio naquela ocasião, em fevereiro de 2007: se nosso mandato não servisse para transformar esses locais, nosso mandato não valeria nada. O Sérgio pegou o Presidente Lula, eu me lembro desse dia, um dos dias que mais me marcaram. Eu, o Presidente Lula, a Presidenta Dilma e o Sérgio sobrevoamos Manguinhos e o Alemão em janeiro de 2007. O Presidente Lula nos chamou em Brasília e determinou à Presidenta Dilma que nós ajudássemos a entrar nesses locais no que precisasse. Isso não teve preço.

Construímos apartamentos e escolas de Ensino Médio. Nesta cidade não se inaugurava escola de Ensino Médio diurno desde o ex-Governador Leonel de Moura Brizola. Os filhos dos trabalhadores e das trabalhadoras ficaram jogados mais de 20 anos nas ruas para estudar numa escola à noite, compartilhada. Essa era a violência aqui neste Estado.

Sabemos que não vencemos a guerra. Ainda há muito para se fazer, há muito, mas fizemos muito. Neste Estado, hoje, dos 19 centros de pesquisa que estão se instalando no País, 16 estão se instalando aqui, 11 em frente à Maré, na Ilha do Fundão, ao lado do Cenpes, grande centro de pesquisa, 5.800 doutores, com mestrado, com doutorado. Os cérebros estão de novo retornando ao nosso Estado, os que tinham ido embora.

A minha cidade é a que tem a maior extensão da Rodovia Presidente Dutra, 52 quilômetros. Cansamos de ver o progresso passando por ela, não é, Júlio e Christino, que foi meu Secretário de Desenvolvimento Econômico? Cansamos de ver o desenvolvimento passando, indo para o Vale do Paraíba. De 2007 para cá, todas as empresas que disputamos nós ganhamos. Na Junta Comercial, há mais de 23 mil empresas cadastradas nesses sete anos. Houve desenvolvimento econômico em todo o Estado do Rio de Janeiro – em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Estamos fazendo na mobilidade urbana a maior revolução que este Estado já teve. Quando chegamos, havia dez trens com ar-condicionado; hoje há cem. Até dezembro - todo mês chegam quatro, cinco trens -, vamos chegar a 150 trens com ar-condicionado e, em março de 2015, toda a frota de 200 trens terá ar-condicionado – tudo já está contratado e pago. (Palmas)

Não se comprava uma barca há 53 anos. A concessionária já alugou cinco, e nós compramos mais nove e vamos comprar mais – a Tatiana e o Julio já mandaram o edital; queremos comprar mais quatro barcas novas para colocar na Ilha do Governador e melhorar o transporte ali. (Palmas) Quanto ao Metrô, não se comprava um carro desde a sua fundação, e toda a frota está sendo renovada.

O que era mais difícil nós ganhamos: credibilidade das grandes concessionárias, como a CCR, a Odebrecht, a SuperVia, a Invepar, grandes operadores que hoje confiam no Governo e fazem grandes investimentos. Sabemos que ainda há muito a ser feito, mas fizemos muito nessa área, e com vocês nos ajudando, aprovando nossos empréstimos. Somos um Estado que adquiriu de novo capacidade de investimento.

Temos Bilhete Único intermunicipal, o único no país, que beneficia de Mangaratiba, e agora, como vocês aprovaram, até Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito, incluídos na Região Metropolitana. (Palmas) Vinte e um municípios, mais de 600milhões de reais direto no bolso de cada cidadão, sem intermediário – sem intermediário.

Programa Renda Melhor Jovem, considerado pela Presidenta Dilma e pela Ministra Tereza Campello o melhor programa de transferência de renda no Brasil, complementando o Bolsa Família, que o Zaqueu e o Rodrigo Neves tocaram com suas equipes. É um programa revolucionário, que vai direto no cartão do Bolsa Família, sem querer a titularidade, sem querer ter um programa para chamar de nosso para ficar mostrando, aproveitando o Cadastro Único das Prefeituras, parceria com todos os meus amigos Prefeitos que aqui estão.

Sabemos o que fizemos. Eu vi a luta do Sérgio em todas as áreas, na cultura, na agricultura; os museus que estamos construindo; as estradas da produção. Todos os laticínios tinham ido embora deste Estado, e agora mais de cinquenta voltaram - todos os grandes voltaram -, dando a garantia de que o produtor de leite hoje pode produzir – falta leite no nosso Estado hoje, Hugo Leal.

Temos, hoje, políticas públicas em todas as áreas. Quando assumimos, em uma área em que tenho trabalhado muito – e estive conversando com a Presidenta nesta quarta-feira, quando ela esteve aqui, e mostrei para ela –, só a Cedae pagou 6bilhões e meio de dívidas, dos quais 2bilhões e 200milhões eram devidos à Caixa Econômica Federal, um empréstimo que não era pago há doze anos – doze anos! A Cedae não podia acessar um banco de fomento, recursos do fundo de garantia - aquele dinheirão que tem lá do fundo de garantia, para saneamento, a Cedae não podia pegar um recurso. Pagamos todas as dívidas da Cedae, que hoje é uma empresa, pelo quinto ano, que tem seu balanço auditado pelas grandes empresas de auditoria, o que habilita a Cedae hoje, como nós estamos pleiteando, a pedir empréstimo na Caixa Econômica Federal, para nós fazermos a obra do Guandu II e levar água para toda a Baixada Fluminense. (Palmas) Mas antes não podia pegar. Para levar água, fazer o Guandu II e levar todo o saneamento para a Baixada nós precisamos de três bilhões de reais. Só de dívidas pagamos seis bilhões e meio de reais.

Agora a empresa está apta, estamos lá, já tivemos a operação aprovada na Caixa e vou despachar com a Presidente Dilma na terça-feira, com a Ministra Míriam Belchior , solicitando esses recursos de volta para o Estado como empréstimo - não queremos dinheiro de OGU - para realizar esse sonho da Baixada Fluminense.

Só agora fizemos um pregão comprando 600 km de tubo para instalarmos na Baixada Fluminense, o Deputado Luiz Martins sabe do que estou falando assim como outros Deputados da Baixada como a Deputada Rosângela Gomes. Estamos avançando com o abastecimento de água na Baixada Fluminense.

Nós sabemos que ainda há muito a fazer em todas as áreas. Mas ninguém pode negar o que o Governador Sérgio Cabral e a nossa equipe fez. Ninguém pode negar! (Palmas) Vou andar de cabeça erguida nesses 92 municípios, pois temos serviços prestados em todos eles.

Estamos fazendo nesse momento a maior revolução, meu caro Senador Dornelles, na Baixada Fluminense. São mais de 2.950 ruas pavimentadas. De Mangaratiba a Tanguá, passando pela Região Oceânica de Niterói. Só na Região Oceânica estamos pavimentando 50 km de ruas. Não havia uma rua pavimentada em muitos bairros da Região Oceânica de Niterói.

Só em Nova Iguaçu, serão mais de 28 bairros... Amanhã estarei em Nova Iguaçu lançando mais seis bairros que contarão com drenagem, pavimentação e calçamento. Assim como em Belford Roxo. No domingo estarei em Nova Aurora. Lá tem uma obra que era esperada há mais de 20 anos, não é Deputado Waguinho, fazendo uma parceria. Já realizamos mais da metade daquela obra de canalização de córregos.

Nós sabemos muito bem o que tem de ser feito. São Gonçalo é uma enormidade, Deputada Graça Matos. A Deputada Graça Matos chega a ter sua perna afinada de tanto andar comigo em São Gonçalo, bem como o Deputado Rafael do Gordo, o Deputado José Luiz Nanci, o Deputado Márcio Panisset e a Deputada Aparecida Panisset.

É uma revolução em todos os municípios. Nós repassamos em sete anos e três meses mais de dois bilhões e 200 milhões do Programa Somando Forças a todos as prefeituras, a todas as cidades. Temos convênios de repasse de recursos com todos os municípios de nosso Estado. Dinheiro na veia. Noventa e cinco por cento do Estado e 5% dos municípios em contrapartida.

Na Saúde pública colocamos pessoas que já não procuravam os hospitais porque não aguentavam mais ir para a porta dos hospitais concorrerem com baleados e atropelados. Só nas UPAs são 22 milhões de atendimentos. São mais de 150 milhões de remédios distribuídos.

Temos hospitais hoje que são referências no Estado. O Hospital da Mulher, o Hospital Heloneida Studart, uma referência na maternidade pública. Temos o Hospital Dona Lindu em Paraíba do Sul fazendo mais cirurgia de quadril do que o Into. Temos o Hospital da Criança em Vila Valqueire.

Quanto aos transplantes quando nós assumimos éramos o sétimo Estado no Brasil e hoje somos o segundo, já quase chegando ao primeiro lugar.

O Hospital Alberto Torres em São Gonçalo foi escolhido pelo Comitê Olímpico Internacional para receber os atletas que tiverem algum problema ortopédico.

O nosso Centro de Imagem está fazendo o dobro de exames que faz o CDPI do Leblon, privado, com a mesma condição, aqui na Central do Brasil.

Foi aprovado pela Caixa Econômica Federal hoje - vamos fazer - o Hospital de Oncologia em Nova Friburgo, na Serra. (Palmas) A Presidente Dilma fez um convênio com o Governo do Estado. O paciente da Região Serrana não precisará descer e sofrer aquela serra. Muitas pessoas vêm fazer quimioterapia aqui no Rio e não vão precisar descer e sofrer nesse trânsito pesado, dentro de uma van ou dentro de um carro, porque o Governador... Eu tenho 32 anos na política. Nunca vi um Governador respeitar na Assembleia Legislativa as Emendas parlamentares. Foi o primeiro Governo. A Emenda de Deputado da Assembleia Legislativa era uma cabeça de bacalhau. Nenhum prefeito aqui viu, nenhuma cidade tinha visto. Nesses sete anos o Governador Sérgio Cabral honrou as Emendas parlamentares nas áreas da Saúde, da Educação, em diversas ações que vocês escolheram. Então, sabemos o que fizemos. A revolução que houve nos concursos públicos.

Em nosso período de sete anos e três meses, tem mais fiscais de renda do que auditores da Receita, do que a história da Secretaria de Fazenda. O nosso Carlos Minc realizou o primeiro concurso na área ambiental. O primeiro concurso do Detran, em diversas carreiras, realizamos os primeiros concursos do Estado. São mais de 80 mil funcionários públicos - policiais militares, policiais civis - em todas as áreas realizamos concursos. Olhem o avanço que isso significa.

Eu tenho consciência, eu sei que ainda falta muito para falar, mas não quero cansar vocês. O Sérgio já estava ali mandando a emenda que ele tinha marcado dez e meia e queria começar dez e meia. Eu tenho um orgulho imenso da minha trajetória e da minha carreira. Eu nunca fiz nada sozinho. Fiz sempre construindo pontes. Eu não tenho inimigos na política. Eu tenho adversários e sigo o ensinamento do grande Senador Nelson Carneiro que, em 1981, chegou a minha cidade quando eu era candidato a vereador e havia uma briga tremenda entre Arena e MDB, Picciani, que virou para mim e falou assim: “Pezão, a política é muito dolorida, - não é Deputado Paulo Ramos? – é muito dolorida, mas siga um ensinamento que você sempre vai se dar bem: “Faça do seus inimigos, adversários e faça do seus adversários, correligionários.” Eu sempre procurei fazer isso. Eu não tenho inimigo na política. Posso ter um adversário num momento circunstancial de uma eleição, mas o nosso mandato tem que servir para melhorar a vida das pessoas que precisam do poder público. (Palmas)

O nosso mandato é para todo mundo, mais especialmente para as pessoas que hoje vemos nas primeiras páginas dos jornais que têm que ocupar uma fábrica abandonada para ter um lar; para corrermos atrás de saneamento.

Graças a Deus temos a política do Programa Minha Casa Minha Vida. Graças a Deus existe uma política habitacional hoje de zero a três salários mínimos, o que nunca existiu neste País, meu Reverendo Isaias Maciel. Nunca existiu, nunca existiu!

Vocês não imaginam a minha alegria por estar tomando posse neste Parlamento com todos os Deputados. Preciso muito de cada um de vocês, dos 70 Deputados. (Palmas) Vocês terão um Governador, permanentemente, na hora que precisar aqui. Eu nunca enviei um Projeto para a minha Câmara de Vereadores que eu não levasse em mãos e não discutisse com os líderes, com os 13 porque lá eram 13 vereadores.

Respeito muito o Parlamento e preciso de cada um de vocês, meu amigo Deputado Paulo Melo, de toda a Mesa, da Deputada Graça Matos e de todos vocês. Continuar com esse lema, com esse slogan que mudou o Estado do Rio de Janeiro que é: Somar Forças. Só conseguimos tudo isso, só conseguimos esses números, só conseguimos fazer outro Estado que terá Copa do Mundo, final da Copa e Olimpíadas porque somamos forças.

Viva o Governador Sérgio Cabral! Viva o Estado do Rio de Janeiro!

Muito obrigado. Vamos ao trabalho. (Palmas)

O SR. PRESIDENTE (PAULO MELO) – Quero registrar as presenças do líder do meu partido, Deputado Domingos Brazão; do Deputado Marcus Vinícius; Deputado Edino Fonseca; Deputada Rosângela Gomes; Deputada Claise Maria; do meu querido amigo, presidente do PMDB, Jorge Picciani; do seu filho, Deputado Estadual Rafael Picciani; Deputado André Lazaroni; Deputado Marcos Abrahão; Deputado Ricardo Abrão; Deputado Christino Áureo; Deputado Noel de Carvalho; Deputado Ricardo da Karol; Deputado Luiz Nanci; Deputado João Nacif; Deputado Doutor Gotardo; do presidente do PDT, Carlos Lupi.

Quero agradecer às presenças que pude visualizar do Guaraná, Vereador do Rio de Janeiro; do meu querido amigo, Jorge Felipe, Presidente da Câmara de Vereadores; da Laura Carneiro; da Teresa Bergher e do Marcelino. Quero agradecer aqui ao Deputado Washington Reis e ao Deputado Rosenverg Reis.

Antes de declarar encerrada a Sessão, quero só dizer uma coisa. Tem um verso de Vinícius de Moraes que diz: “O sofrimento é o intervalo entre duas felicidades”. Tenho absoluta certeza de que V.Exa. será a segunda felicidade. Parabéns! Que Deus o ilumine e proteja.

Está encerrada a Sessão.