PROJETO DE RESOLUÇÃO1039/2005

Autor(es): Deputado LEANDRO SAMPAIO

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
RESOLVE:
Art.1º - Fica concedido o Título de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro ao poeta Gastão Cerqueira Neves.

Art. 2º - Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação revogadas as disposições em contrário.

Plenário Barbosa Lima Sobrinho, 31 de maio de 2005.


Deputado LEANDRO SAMPAIO

JUSTIFICATIVA

“Ditem que o tempo é. É. Mas eu lhes contarei uma história que foi, com cheiro de futuro”. Assim, aproveitando seus versos, dados autobiográficos, é que homenageio, em nome do povo fluminense, a ilustre figura de GASTÃO CERQUEIRA NEVES, teresopolitano poeta, honrado cidadão, artista festejado, nascido em 1927, filho de José Teixeira Neves e Beatriz Augusta Cerqueira da Silva, estes naturais do Porto e de Amarante, em Portugal.

CURRICULUM

Em 1935, Gastão inicia o Curso Primário no Grupo Escolar Euclides da Cunha. Nos dois últimos anos de curso, participando dos espetáculos escolares, revela especial inclinação para a leitura de textos e a arte de dizer poesia.

Logo após, presta exame de admissão para o Ginásio Teresópolis. Completa o curso de Bacharel em Ciências e Letras e, em 1945, termina no Rio de Janeiro, então capital federal, o Curso Científico no Colégio Felisberto de Menezes.

Em 1946 faz o Curso Ary Quintela, preparatório às Escolas Militares. Ingressa, em 1947, na Escola Preparatória de São Paulo, obtendo aprovação para a Academia Militar. Em 1948 entra na Academia Militar das Agulhas Negras. Após um ano e meio de curso, solicita desligamento da Academia, seguindo para São Paulo, onde pretende seguir jornalismo e letras.

É nomeado, em 1950, Exator da Secretaria da Fazenda do Estado. Colabora nos jornais “A Gazeta” e a “Época” e na “Revista do Café”, publicando crônicas e contos. Em 1953, convidado pelo Professor Fernandes Soares, participa na Rádio Gazeta dos programas “Enciclopédia do Ar” e “Hora do Livro”, onde aprimora a técnica de dizer poesia.

É transferido, em 1954, para o Rio de Janeiro, onde passa a exercer no Escritório de Representações do Governo do Estado de São Paulo, as funções de Chefe de Imprensa e Relações Públicas do governo, em 1955, credenciado pelo Jornal Tribuna da Imprensa para o Senado Federal, integra a bancada de jornalista da casa, fazendo a cobertura dos trabalhos.

Em 1959, em Teresópolis, sua terra de nascimento, conhece Antônio Maria, de quem torna-se amigo e admirador. Uma crônica de Maria, publicada no Jornal Última Hora, projeta seu nome como renovador da poesia falada (não declamada). Inicia uma experiência de levar a poesia às boates do Rio, apresentando-se nas famosas casas noturnas, Texas e Plaza, inicialmente. “Um Poeta na Noite” passa a ser motivo de reportagens e entrevistas nos principais jornais e revistas e outros meios de comunicação como a televisão e o rádio.

Em 1960 publica seu primeiro livro de poesia, Senhora dos Sonhos Mortos, pela Editora Leitura. Segue, em 1962, para Portugal, convidado pelo Governo para cumprir um roteiro de poesia brasileira. Durante quatro meses apresenta-se, entre outros locais, no Teatro da Estufa Fria, da Câmara Municipal de Lisboa, Academia da Ajuda, Palácio Valenças e na Rádio Televisão Portuguesa, onde se apresenta semanalmente no programa “Um Poeta Brasileiro em Lisboa”. Estréia no Cassino Estoril, fechando um espetáculo de atrações internacionais, dizendo poesias suas e de vários poetas brasileiros.

Em 1963, designado pelo Governo de São Paulo, segue para Bahia, passando por Salvador e percorrendo, durante três meses, a região central, a zona fisiográfica da Chapada Diamantina, incluída no Polígono das Secas. Convivendo com os donos das terras e a dura vida dos homens do campo e dos vaqueiros, escreve reportagens e colhe material para futuros trabalhos de prosa e poesia.

Em 1964, contratado pela TV Rio, canal 13, produz e diz ao vivo o programa de crônica, diário, Rio de Verdade. Em 1965 publica “Portugal para Brasileiros”, impressões de viagens, José Álvaro Editor. É eleito Membro Honorário do Real Gabinete Português da Leitura.

Em 1966 é nomeado “Redator” da Secretaria do Governo de São Paulo. Publica “Tempo de Espera”, poesia política e social, retratando o golpe militar de 64, deposição do Presidente João Goulart, pela José Álvaro, retirado das livrarias e da circulação pelo regime em vigor.

É nomeado pelo Governador Geremias de Mattos Fontes, em 1967, para exercer o cargo de Diretor de Departamento de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, “Status” de Secretário, atendendo ao pedido dos jornalistas fluminenses. Cria o Festival Fluminense da Canção Popular, com a participação da TV Globo.

Em 1968 cria o evento inédito, Torneio Nacional da Poesia Falada, reunindo, em Niterói, poetas de vários estados brasileiros e interpretes do Teatro Nacional e da Televisão, transmitido ao vivo pela TV Globo canal 4. O Torneio constitui-se num dos mais importantes movimentos de popularização da poesia, além de reformular a política de prêmios, setor poesia. Cria para o Torneio o troféu, Casimiro de Abreu. É nomeado Membro do Conselho Estadual de Cultura; integra a Comissão de Seleção do Festival Internacional e Nacional da Canção, promovido pela TV Globo.

Em 1969 promove o 1º Festival Brasileiro de Canto Coral, reunindo no Teatro Municipal de Niterói 20 corais de diversos estados brasileiros, que se apresentavam em recitais populares, extraconcurso, no Campo de São Bento. Além da premiação em dinheiro, instituiu para os vencedores o Troféu Villa Lobos.

Organiza “Caravanas de Cultura”, levando poetas, grupos de teatro, artistas plásticos, cantores e grupos musicais aos municípios do estado. Publica “A Rosa faz o Poema”, poesia, José Álvaro Editor.

Em 1970 é nomeado pelo Ministro da Educação e Cultura para integrar, representando o Estado do Rio de Janeiro, a Comissão Nacional de Transladação dos Ossos da Princesa Isabel, do Rio de Janeiro para a Catedral de Petrópolis. Recebe a medalha Euclides da Cunha, instituída pelo Clube dos Estados, sediado em São Paulo, pelos serviços prestados à cultura.

Em 1971, terminado o mandato do Governador Geremias Fontes, pede exoneração do cargo de Secretário de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Em 1972 assume o cargo de Redator do Governo do Estado de São Paulo e é designado para o Escritório de Representação no Rio de Janeiro, retornando à chefia do setor de Imprensa e Relações Públicas.

Em 1974 inicia um roteiro de poesia e música popular brasileira, com a participação da cantora Wilma Hart, e de Luis Ricardo, Rick, compositor e violonista, percorrendo vários estados e municípios, através do Circuito SESC, incluindo teatros, colégios e clubes sociais, no propósito de divulgar e abrir um mercado novo para a poesia.

Em 1975 publica “Signo do Espanto”, romance, pela Livraria e Editora Cátedra Ltda. Apresenta, em 1976, com a cantora portuguesa Rosa Maria, no Teatro Princesa Isabel, o espetáculo “Vamos Sonhar Caravelas”, direção de Flávio Cerqueira. Além das apresentações no teatro, o espetáculo entra no Circuito SESC e é apresentado nas Associações Portuguesas.

Requisitado ao Governo do Estado de São Paulo pelo Movimento Brasileiro de Alfabetização MOBRAL, participa no Centro Cultural do Programa de Literatura, passando em seguida para a chefia da Assessoria de Comunicação Aplicada.

Sempre à procura de um público novo para a poesia, de mãos dadas com a música popular, monta, em 1978, o espetáculo “Tempo de Espera”, no Teatro Princesa Isabel, passando a percorrer faculdades, colégios e clubes sociais. Em 1979 é designado para a Secretaria de Informação e Comunicação do Governo do Estado de São Paulo.

Em 1981, solicitado pelo Prefeito de Niterói, doutor Moreira Franco, ao Governo de São Paulo, retornou à cidade fluminense para ocupar o cargo de Superintendente Geral da Fundação Atividades Culturais FAC. Inicia uma programação cultural que atravessa os limites da ex-capital do Estado, através dos órgãos de comunicação, culminando com o projeto de música popular brasileira, denominado “Barca das 7”, ao ar livre, que durante 4 anos, todas as quintas-feiras, reunia os maiores nomes da música popular brasileira. Cantores, compositores, e diversas bandas levavam ao local, semanalmente, um público de 10 a 30 mil pessoas por semana.

Em 1985 retorna a sua cidade natal, Teresópolis, para ocupar o cargo de Secretário Municipal de Cultura, convidado pelo prefeito Celso Dalmasso, criador da Secretaria de Cultura.

Em 1991, na vida civil, retorna as atividades artísticas e culturais. Passa quatro meses na Bahia, saindo de Salvador, para fixar-se na cidade de Jacobina, percorrendo vários municípios da denominada Chapada Diamantina, Polígono das Secas, dando recitais de poesias e conferências nos colégios e clubes da cidade.

Se apaixona pelo tema de Canudos e recolhe material histórico, fotografias, etc. Se aprofunda no assunto para a publicação de um novo livro. Em 1992 publica em Teresópolis-RJ, o livro “Romanceiro de Canudos”, que recebe da critica uma especial acolhida, esgotando edições em vários estados e municípios.

Em 1994 retorna aos recitais de poesia oral. Através do Circuito SESC, percorre vários municípios dos estados, fazendo dupla com o jovem violonista, de 18 anos, Jorge Péculas, aluno brilhante do professor e grande violonista Turíbio Santos, presidente do Museu Villa-Lobos.

Em 1995 publica “Folhetim Brasil/95”, poesia política e social. Em 1998 publica Álbum de Cândida”, poesia, Zem Gráfica Editora de Teresópolis. Em Teresópolis exerce com mais tempo as atividades de escritor e poeta. Em 2001 prepara sua Antologia Poética “A Sentença do Tempo”, poesia em voz alta, e o romance “Diário da Procura”.

Por tudo isso, uma vida dedicada a arte e a cultura, cantando poesia, é que apresento aos ilustres pares na ALERJ, esta homenagem a GASTÃO CERQUEIRA NEVES com o TÍTULO DE BENEMÉRITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

Legislação Citada



Atalho para outros documentos



Informações Básicas

Código20050501039AutorLEANDRO SAMPAIO
Protocolo7352/2005Mensagem
Regime de TramitaçãoOrdinária

Entrada 05/31/2005Despacho 05/31/2005
Publicação 06/01/2005Republicação
Comissões a serem distribuidas


01.:Normas Internas e Proposições Externas


Hide details for TRAMITAÇÃO DO PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 1039/2005TRAMITAÇÃO DO PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 1039/2005

Cadastro de ProposiçõesData PublicAutor(es)
Hide details for Projeto de ResoluçãoProjeto de Resolução
Hide details for 2005050103920050501039
Two documents IconRed right arrow IconHide details for CONCEDE O TÍTULO DE BENEMÉRITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AO  POETA GASTÃO CERQUEIRA NEVES. => 20050501039 =>CONCEDE O TÍTULO DE BENEMÉRITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AO POETA GASTÃO CERQUEIRA NEVES. => 20050501039 => {Normas Internas e Proposições Externas }06/01/2005Leandro Sampaio
Blue right arrow Icon Envio ao Plenário; => Pronto para a Ordem do Dia06/10/2005
Blue right arrow Icon Distribuição => 20050501039 => Comissão de Normas Internas e Proposições Externas => Relator: EDINO FONSECA => Proposição 20050501039 => Parecer: Favorável06/10/2005
Blue right arrow Icon Discussão Única => 20050501039 => Proposição => Encerrada sem debates08/19/2005
Acceptable Icon Votação => 20050501039 => Proposição => Aprovado (a) (s)08/19/2005
Blue right arrow Icon Arquivo => 2005050103909/20/2005
Green right arrow Icon Resultado Final => 20050501039 => Resolução 923/2005